Como Noah Baumbach elabora sua identidade visual7 min read

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Em continuidade à Marca do Diretor – Noah Baumbach, hoje vou contar pra vocês como ele estrutura seu universo estético. E é de uma forma bem íntima, bem pessoal, ou seja, muito coerente com toda sua narrativa e atmosfera que suas histórias contam.

Vocês se lembram que eu citei que o Noah é um dos grandes do mumblecore? Lembram das características desse sub-gênero? Como eu sei que vocês leram o post anterior, vou seguir em frente e te explicar tudo!

Cores

Uma vez que seus filmes estão voltados para os dramas pessoais de seus protagonistas, para as relações interpessoais e suas histórias são íntimas e por vezes autobiográficas, não faria sentido que seu uso de cores fosse rebuscado ou cheio de contrastes, muito pelo contrário. E assim, temos sempre cenas com cores naturais, tons terrosos, muito bege, amarelo, marrom, verdes sóbrios e suas nuances.

Nesse sentido, é quase impossível relatar as cores sem mencionar a iluminação e aí esbarramos na Direção de Fotografia, onde Noah acaba escolhendo, na maioria das vezes, os mesmos profissionais, algo que mencionei na primeira parte.


me segue no instagram

Você fica sabendo sempre que tiver novos artigos no blog e
desfruta de conteúdos exclusivos para a plataforma.


Direção de Fotografia

Primeiramente, a iluminação escolhida por Baumbach e que está em grande parte de seus filmes é a mais natural possível: luz do dia, do sol, ambientes com muitas janelas (olha eu me precipitando à Direção de Arte) para entrada de luz natural e a maioria de suas cenas são brilhantes, o que nos traz uma perspectiva de positividade.

Embora seus filmes tenham sim uma carga dramática alta, mas os finais são esperançosos, são otimistas. A gente não sai de seus filmes angustiado ou impactado. Como resultado, saímos confiantes de que vai ficar tudo bem. E uma das formas de alcançar esse sentimento é através da luz empregada nos longas.

Temos isso nas cenas finais de “Historia de um Casamento”, “Os Meyerowitz”. Eu poderia discorrer aqui de toda simbologia em algumas cenas finais de seus filmes, mas aí eu daria spoilers severos e quero que este guia seja um apoio para qualquer leitor, que desperte aí em você uma curiosidade para conhecer esse diretor tão interessante. Nem todo mundo gosta de spoilers. (tipo eu! 💁🏻‍♀️)

Cena final de “Historia de um Casamento”

Enquadramentos

Percebemos em seus trabalhos também muita movimentação de câmera em seus longas, viajamos pelas ruas de Nova Iorque na companhia de seus personagens .

Noah gosta muito de cenas internas, dentro de apartamentos e casas, são nesses momentos que acontecem os close-ups. Estes que têm função narrativa pois nos concentra nos sentimentos e emoções de quem está ali enquadrado, nos permite entrar nas cabeças daquelas pessoas, sentir o que sentem, nos imaginar em seus lugares.

E entre uma cena e outra temos transições em preto, sempre. O famoso fade to black.

Direção de Arte

Outro elemento complementar às cores e à fotografia são os ambientes que dialogam com as vidas que que esses personagens levam. Nesse sentido, eles estão intimamente relacionados a seus estados emocionais, nos lembram também de suas condições intelectuais e sociais.

Podemos notar isso na casa onde Nicole e Charlie moravam em “história de um casamento”, cheia de livros, discos, artigos de decoração e outras coisas que juntaram durante sua vida juntos.

Da mesma forma, a casa de Harold Meyerovitz em “Os Meyerovitz” era cheia de lembranças dos muitos relacionamentos que ele teve, foram 4 casamentos, 3 filhos e por diversos momentos isso é mencionado: as caixas que Danny deve olhar pra se desfazer do que não quer mais, os óculos escuros encontrados e que não se sabia ao certo de quem era. Tudo isso também tem a ver com a imaturidade dos personagens que nunca se desvinculam por completo de suas vidas próximo aos pais.

Ainda não assisti toda a filmografia de Noah Baumbach, mas falta pouco pra terminar. De tudo que assisti, gosto muito e ele tem uma discipula, Greta Gerwig (sua esposa), que vem me conquistando mais um pouco a cada filme que lança.
Assim como ele, ela explora bastante o mumblecore e de forma bem sensível, cativante.

Por fim, tenho um pedido: se vocês gostaram dessa série que retrata o estilo do diretor Noah Baumbach, espalha pra todo mundo!

Compartilhe com seus amigos!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

2 comentários em “Como Noah Baumbach elabora sua identidade visual”

  1. Pingback: Quem são as "Mães de Verdade" | Mostra de Cinema SP 2020 | COLOR my days

  2. Pingback: Como Noah Baumbach fala sobre maturidade | COLOR my days

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected
Rolar para cima