Maria Antonieta7 min read

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

O filme mais lindo e plástico de Sofia Coppola

  • Título original: Marie Antoinette
  • Data de lançamento: 16 de Março de 2007
  • Diretor: Sofia Coppola
  • Diretor de Fotografia: Lance Acord
  • Elenco: Kirsten Dunst, Jason Schwartzman, Rip Torn
  • Sinopse: Uma adolescente austríaca se casa com o Dauphin da França e se torna a rainha do país depois da morte do Rei Louis XV em 1774. Anos mais tarde, após uma vida de luxo e privilégio, Maria Antonieta perde sua cabeça na guilhotina durante a Revolução Francesa.

Sim, a sinopse é muito fiel ao filme, é baseado em fatos reais e no livro da autora Antonia Fraser que relata uma visão a partir da vida íntima desta icônica personagem da história francesa.
Já li diversas críticas a respeito e particularmente, gosto muito deste filme. E como será tema aqui dos escritos, algo que sempre me chama atenção, é a fotografia e cores utilizadas por seus diretores. Em Maria Antonieta, o diretor de arte é K.K. Barrett e o diretor de fotografia é Lance Acord que são igualmente geniais.


No início do filme pode-se observar o uso de roupas claras, tons pastéis, tecidos finos, padrões florais e jóias, o que pode nos remeter a uma época de inocência, tendo em vista a idade que Maria Antonieta se casa com Luis XVI e as cores da realeza, faz sentido o uso dessa paleta pois tudo deve ser sofisticado, iluminado, rico e muito encantador!

Desde a apresentação dos noivos até o casamento dos jovens, percebe-se a infinidade de protocolos e costumes a serem seguidos e fica bem evidente que a moça não estava acostumada. A partir do filtro de câmera utilizado, maquiagem e cores das roupas, nota-se um ar de leveza do ambiente em contraponto ao evidente desconforto de Luís XVI. Ao fim da cerimônia, os monarcas são muito cortejados e saudados.

Durante um dos jantares reais, somos introduzidos a uma personagem que destoa de toda aquela leveza que vemos: é a amante do rei Luis XV, Du Barry, que abusa das cores fortes como o vermelho que denota a luxúria, aquilo que é intenso, quente e proibido na alta corte francesa! 😏

Posteriormente, vemos uma série de cenas da delfina se esbaldando em compras de tecidos finos, fitas, laços, seda, cores pastéis e tudo isso regado a muitos docinhos, champagne 🍾, banquetes, cachorrinhos e na companhia das amigas, é claro! Obs: alguém viu um all star azul passando?! 😍 💙 Nessa cena também fica muito evidente o estilo transgressor de Maria Antonieta, trazendo para a clássica monarquia francesa, um toque de modernidade com penteados altos (vai, até demais!), sapatos modernos, modelos diferentes e bem estruturados.

E aí vem o baile de máscaras🎭. Ela usa preto e lança um belo decote na intenção de trazer sensualidade para aquele relacionamento que ainda não tinha emplacado. É nesse momento que ela conhece o Conde Fersen, por acaso vocês sabem quem é ele? Christian Grey, minha gente! Ele só poderia aparecer nessa cena tomada por máscaras, sensualidade e tons de cinza, não é verdade?!

Pois então, Luis XV morre e o recente casal se vê obrigado a assumir uma responsabilidade imensurável de governar uma das maiores potências do mundo. Desse momento em diante seguiu-se um reinado cheio de festas, orgias gastronômicas, muitos jogos e muito champagne. #veuvecliquot #moetchandon

Ressaca #quemnunca

Durante o debut de 18 anos de Maria Antonieta fica muito claro o desperdício de dinheiro da Coroa e o quanto ambos eram imaturos para uma tarefa tão importante. Mas não deixe de apreciar a cena que marca o fim da festa, um lindo nascer do sol no Palácio de Versalhes. Simplesmente uma obra prima da direção de fotografia! 👏🏼👏🏼

Após uma visita de seu irmão, finalmente a rainha dá a luz a sua primogênita Maria Thereza. Cansada das badalações, obrigações e protocolos que era obrigada a seguir, o rei presenteia sua rainha com o Petit Trianon. Este local virou um refúgio para Maria Antonieta e sua filha, onde protagonizaram as cenas mais lindas do filme, cheias de tons naturais, tomadas ao ar livre e a reprodução de todas as cores contidas nas três capas oficiais divulgadas. Observa-se uma mudança drástica nas vestimentas da Delfina com menos estruturas, cores e tecidos mais naturais, algo mais condizente com seu novo papel de mãe e com o estilo de vida intimista que preferia.

Petit Trianon

Enquanto isso, Luis XV decidiu ajudar os EUA em sua guerra civil e foi esvaziando cada vez mais seus cofres… 💸💸

Somado ao luto pela morte de sua mãe e de um de seus filhos, o que podemos ver é uma moça de preto na maior parte do tempo, sem maquiagem, cabelos baixos e triste. Maria Antonieta perdeu seu viço, prestígio, popularidade e todos da corte francesa fugiram por conta do início da Revolução Francesa. Todos, menos o rei e a rainha da dívida.

Luto

Essa foi a queda do reinado de Luís XVI e a conclusão de um belíssimo filme que tem uma cena final tão sensível como toda a forma que se exibiu.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

2 comentários em “Maria Antonieta”

  1. Pingback: [OPINIÃO] Adoráveis Mulheres (2019) | COLOR my days

  2. Pingback: SEM AMOR – Todas as mulheres nasceram pra ser mães? – color my days

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected
Rolar para cima