As cores do Natal e sua história9 min read

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Simplesmente não parece Natal sem enfeitar nossos ambientes com as cores típicas da época, não é mesmo?! Mas você já se questionou por que consideramos vermelho e verde as cores tradicionais de Natal? Antes de mais nada, quero deixar claro que não existem regras e você pode (e deve) quebrar regras na decoração da sua casa. Atualmente, as lojas especializadas fazem misturas lindas com cores pastel, rosé gold, ouro e branco, entre outras. Pesquisando no Pinterest, há uma infinidade de boas ideias.

Por que vermelho e verde são tradicionalmente as cores do Natal?

Associamos a combinação de vermelho e verde ao Natal, mas essa dupla já está ligada há muito tempo e tem sua origem histórica. Primeiramente, associou-se as cores a um feriado diferente: o solstício de inverno. Séculos atrás, os pagãos europeus acreditavam que os azevinhos traziam beleza e boa sorte no meio do inverno. Os azevinhos são uma das numerosas espécies do género Ilex, e a única que nasce espontaneamente na Europa, sendo bastante comum. Como tal, eles regularmente equipavam suas casas com as plantas vermelhas e verdes como uma maneira de promover um próspero ano novo.

Com o tempo, este hábito se transformou em decorações vermelhas e verdes. E assim, a ideia de enfeitar os ambientes com as cores tornou-se uma tradição tipicamente natalina conhecida em todo o mundo.

Ouro-vermelho-verde

Essa tríade significa dinheiro-amor-saúde. Teoricamente, é o que todos nós acreditamos ser a felicidade. Apesar de se pensar o ouro menos como cor e mais como metal nobre, o vermelho passa a ser a cor principal da felicidade. A ideia de uma cor em associação a este sentimento na China é especialmente popular. Os chineses festejam acontecimentos felizes com frequência em restaurantes, e dessa forma, os restaurantes chineses são, em sua maioria, decorados em vermelho. Na festa chinesa do Ano Novo, que coincide com nosso Natal, pregam-se cartazes vermelhos onde se leem votos de felicidade para o novo ano, escritos em letras douradas. As crianças ganham de presente envelopes vermelhos recheados de dinheiro. Os presentes de Ano Novo preferidos são os ovos, oferecidos como nossos ovos de Páscoa, um símbolo do recomeço. Estes ovos do Ano Novo são sempre vermelhos.

Nos países do Ocidente, São Nicolau reparte os presentes pequenos e Papai Noel os grandes – ambos vestem vermelho. São Nicolau – ou Santa Claus – também se veste de vermelho, porque o santo histórico era o bispo Nicolau de Myra, que viveu por volta dos anos 300-350 e, naquele tempo, não era o violeta a cor dos bispos, e sim o vermelho.

Quais são os outros significados para vermelho e verde relacionados ao Natal?

Pessoas de todo o mundo mantém a tradição religiosa do nascimento de Cristo durante o Natal. Como resultado, uma das perguntas mais feitas sobre essas cores é se existe alguma simbologia religiosa para elas.

Muitos cristãos acreditam que as guirlandas feitas de azevinho poderiam ser associadas a seu sacrifício. As frutas vermelhas da árvore representam seu sangue, enquanto as folhas verdes são um símbolo da coroa de espinhos que ficou em sua cabeça na cruz.

Entretanto, existe uma teoria de que a coroa de espinhos que Cristo usou é da planta Ziziphus spina-christi. Comum no sul da África, na Jordania e em Jerusalém, ela também possui frutos vermelhos e suas folhas são bem verdes.

Outras cores religiosas associadas ao Natal

Enquanto vermelho e verde lideram a preferência durante a época, frequentemente se usa ouro, branco e azul.

De acordo com Eva Heller, em “A Psicologia das Cores” na Igreja Católica, o branco é a cor das celebrações mais distintas. No Natal, na Páscoa, em todas as festas que são datas comemorativas para prestar honrarias a Cristo, a Maria ou a quaisquer outros santos que não sejam mártires, os clérigos católicos vestem branco durante a missa. Nos dias dos mártires a cor é o vermelho, cor do sangue. Às vezes, as batinas são tão ricamente bordadas a ouro que o branco mal se vê.

Nesse sentido, uma vez que as tradições começaram na Europa, o branco pertence ao inverno, à neve. Na Alemanha a paleta de cores do frio é branco-cinza-prata-azul. Já assistimos em muitos filmes um “Natal Branco” e sem a neve tudo o que temos é um Natal verde. Assim como as cores do nosso Natal aqui no Brasil.



Azul

Os europeus antigos acreditavam que o azul era a cor do espiritual. Nesse sentido, as cores simbólicas do cristianismo aparecem, na maioria das vezes, nas vestimentas e são, de modo geral, sinais de reconhecimento: pela cor da vestimenta das pinturas antigas, é possível, em geral, saber quem está representado ali. Além disso, elas caracterizam as qualidades de quem as veste.  O azul feminino é a cor de Maria – que chamamos também de “a cor de Nossa Senhora”. Maria aparece num luminosíssimo azul ultramarino como Virgem, como Nossa Senhora da lua crescente e deusa celestial. Como manto, Nossa Senhora carrega um manto azul, tão vasto quanto o céu sobre os fiéis. Como Nossa Senhora das Dores, ela traja um vestido de um azul profundo.

Ouro

O amarelo é a cor da luz, ou seja, em sentido extensivo, torna-se a cor da iluminação. Em muitas línguas, e no alemão, “claro” e “sagaz” podem significar a mesma coisa. No Islã, o amarelo-ouro é a cor simbólica da sabedoria. No simbolismo europeu antigo, o amarelo também é a cor da inteligência. Por este motivo ela é associada aos Reis Magos, a um dos presentes que eles carregaram consigo e à estrela que os conduziu ao nascimento de Jesus.

Os Reis Magos vieram de uma área que agora está no Iraque, Irã, Arábia Saudita ou Iêmen (então conhecida como Pérsia, Arábia e Sheba). Eles são conhecidos por serem sábios justamente por serem estudiosos do céu. Hoje os chamamos de astrólogos, mas naquela época, astronomia e astrologia faziam parte dos mesmos estudos gerais (e eram ciências). Uma vez que observavam o céu atentamente, eles viram uma nova estrela incomum no céu, e sabiam que ela contava sobre o nascimento de um rei especial em ‎‎Israel.‎‎ 

Os Magos ofereceram três presentes ao menino Jesus: ouro, incenso e mirra, cujo significado e simbolismo espiritual é, juntamente com a própria visitação dos magos, um resumo do evangelho e da fé cristã.

Fontes: News.com.au / A Psicologia das Cores / Country Living / Wikipedia / WhyChristmas.com

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected
Rolar para cima