O Tremor, filme de 2020, não causa impacto4 min read

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
o tremor elenco e equipe técnica

É o que eu sempre digo: se um filme se sustenta em apenas um pilar, a história não vai pra frente.
O cinema é um conjunto de fatores, que somados, nos entregam alguma coisa. Quando não entrega é que é um problema. Na minha opinião, é o caso de “O Tremor”, filme exibido na Mostra de SP 2020.
O que realmente me surpreendeu positivamente, foi o fato do filme ser totalmente diferente do que conheço como cinema indiano. Não tem nada de Bollywood, dos tecidos incríveis, das cores chamativas e em excesso.

Cores e Fotografia

Nesse sentido, a fotografia é tomada por uma névoa azul, verdes azulados e tons de cinza sempre voltados pro frio. Vemos em alguns pontos marrons e alguns tons de vermelho mais encostando no roxo por causa do filtro azul.

Dessa forma, existem momentos em que a iluminação natural se faz presente e aí sim vemos paisagens belíssimas da natureza, folhas verdinhas, galhos marrons.

Mas nada disso é suficiente pra nos manter longe do sono, porque o “O Tremor” é minimalista em demasia: quase não há diálogos, poucas pessoas interagem com o protagonista e tudo isso parte da premissa de uma história que ninguém consegue confirmar.

Já me segue no Instagram?

Como não?! 😱 Você fica sabendo sempre que tiver novos artigos no blog e
desfruta de conteúdos exclusivos para a plataforma.
Clica aqui embaixo pra não perder mais nada! 👇

além das cores

O que realmente me levou até o fim foi a curiosidade de como o diretor Balaji Vembu Chelli fecharia o filme. Porque eu já sabia que não teria um final conclusivo.
Muitos desses filmes costumam ter um olhar mais virado pra dentro de si. Em outras palavras, quero dizer que pode ser “para si” enquanto protagonista do filme ou mesmo de uma sociedade; o que seria totalmente possível aqui.

Em dado momento, o filme flerta com essa possibilidade quando clama que aquelas pessoas são um povo esquecido.
Em outra situação, poderia soar como uma critica social em torno das construções grandiosas e do capitalismo malvadão.
Mas nada disso se finca em “O Tremor”. Ele acaba sendo uma experiência de slow cinema não muito bem construída.

Filmes relacionados

Em resumo, como consequência desta experiência bem mais ou menos, eu não tenho um filme relacionado pra te indicar.
Porém, se você conhece algum semelhante, deixe aqui na caixa de comentários, será muito bem vindo!

Por fim, “O Tremor” não é um filme que eu indicaria para você assistir na Mostra de SP neste ano de 2020.
Enquanto há diversos outros melhores, eu não perderia tempo com este aqui. A menos que você tenha ficado realmente curioso, aí deixo aqui o link pra você adquirir seu ingresso! 😉

Muito obrigada por sua leitura, espero que tenham gostado!
Pra você que é meu leitor fiel, eu também agradeço muito e peço que compartilhem com outros cinéfilos. Isso é muito importante pra ajudar a página a crescer!

me siga nas redes sociais!

LEIA também:


No post found!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected
Rolar para cima