Vanilla Sky4 min read

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Open your eyes, David

Sophia
  • Título original: Vanilla Sky
  • Data de lançamento: 25 de janeiro de 2002 (Brasil)
  • Diretor: Cameron Crowe
  • Diretor de Fotografia: John Toll
  • Elenco: Tom Cruise, Penélope Cruz, Cameron Diaz
  • Sinopse: David é um playboy rico e bem-sucedido que vê sua vida virar de pernas para o ar quando uma de suas ex-namoradas, não aceitando vê-lo com outra mulher, resolve cometer suicídio e arrastá-lo junto. Ele consegue sobreviver, mas tem o rosto totalmente desfigurado. Nesse estado, ele descobre o amor de outra mulher e que seu rosto pode ser reconstruído através de cirurgia plástica. Sua felicidade, porém, é interrompida por estranhas visões que começam a persegui-lo.
Isso é um sonho?!

A primeira vez que assisti esse filme, tinha uns 18, 19 anos e achei genial, além de babar com o Tom Cruise o tempo todo! ☺ #quemnunca
Sem dúvida é um filme muito bem construído e montado de forma que você realmente fique um tanto confuso. Confesso que adoro isso em filmes porque proporciona uma chance única de interpretá-lo à sua preferência. Porém, existe algo em Vanilla Sky que realmente me incomoda e é seu final:

Por que raios tudo tem que ser tão explicado no cinema americano?!

Cores e Fotografia

Bem, vamos lá desvendar as belas cores e suas referências?

O filme começa com um filtro esbranquiçado e bastante azul. Aliás, o azul está presente o tempo todo: nos olhos de Tom Cruise, no céu nas tomadas externas e nas paredes da casa de Sofia. Esse azul está sempre dizendo pra gente: fique calmo, está tudo bem. Somos apresentados a David Aames: rico, lindo, bem sucedido; saindo com a linda Julie Gianni, atriz, mal sucedida e apaixonada por ele.

Em uma de suas habituais festinhas privadas, David conhece Sofia: uma moça simples, bailarina e cheia de mistério. A propósito, já viu quem é um dos convidados?

Steven Spielberg! 😱

Nesse momento, há a presença de marrom, laranja e cores quentes. Mas, por que não? Esse é um momento fundamental, quando ele conhece seu grande amor. Além disso, o tom laranja oferece uma atmosfera amigável e de sociabilidade, perfeito para o momento.

Sem o amargo o doce não é tão doce

David passa a noite com Sofia e quando sai da casa dela, dá de cara com Julie que oferece uma carona e ele aceita. Teria este sido seu maior erro?

Após o acidente, David passa a transitar entre o real e o imaginário. A partir de então, as cores apresentadas acompanham todas as fases com muita harmonia onde o esbranquiçado e cores pastéis remetem às memórias, sonhos e ilusões de David. Tudo funciona muito bem, com um bom texto e uma bela argumentação que no fim, faz muito sentido.

Vanilla Sky oferece uma série de referências interessantes, que muito infelizmente também são citadas no fim do filme: o céu que lembra pinturas de Monet, a capa do disco de Bob Dylan acompanhada por sua música na trilha sonora, as artes nas paredes da casa de David e Sofia, etc.

O que é felicidade para você, David?

Sophia

Vejo semelhanças entre Matrix e Vanilla Sky, pois, tratam de temas ligados ao futuro e o objetivo de seus protagonistas é o mesmo: viver a vida real.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected
Rolar para cima